29.6.11

...Última Homenagem...*

As pontas dos dedos passearam por entre as pérolas, contornado uma a uma, desistiu de conta-las. Afinal, do que serviria saber a quantidade? Bastava-lhe ser adornada por lembranças, cicatrizes de sofrimento das ostras e neste momento isso lhe caía bem. Pela última vez, deitou-as sobre a pele nua, no vale entre o pescoço e o colo; espaço quente, que reagiu como savana ao vento no fim de tarde, fora percorrida por prazeroso arrepio ao momento do primeiro roçar.
As pálpebras cerraram-se junto aos seus sentimentos, resguardando o recato das retinas que se banhavam, nuas, em lágrimas mornas; pareciam-lhe escorrer em sentindo invertido, inundando suas cavernas de lembranças, num demorado e sufocante afogamento, sortidos ecos que se consumavam em soluços.
Também não contou o tempo até seu último suspiro. Privada d’aquele sopro que a mantinha viva, já não importava respirar, viveria doravante de um ar de lembranças.
 E foi no balcão sobre os rochedos - testemunho de toda a fúria do mar, que arrancando de um golpe só, fê-las saltar, cintilantes como estrelas perdidas no céu - devolveu-as ao mar.
Já não havia mais motivos para adornar-se, que a fúria do mar as consumisse, com a mesma destreza que a fúria da ingratidão a consumia.
Mira-se no espelho agora, com um gélido olhar e o único sinal de vida que se percebe, é o vinco avermelhado que ficou...rasto de uma última homenagem...

*[Escrito em fev/2011]

...Fugidia...


Quero chegar onde o nunca se achegou
Mas não me alcanço
Distorcida
Na penumbra das ilusões tardias
Que fugidias quiça minh’alma pudesse espelhar

28.6.11

Se faz necessário dizer Que:

“Queremos a revolução caraíba. Maior que a revolução francesa. A unificação de todas as revoltas eficazes na direção do homem...”
                                     Manifesto Antropofágico

Convidamos a todos os amigos para nosso próximo SARAU, que se realizará em 02/julho, sábado, a partir das 18 horas.
Desta vez nosso tema será POESIA DE CONTESTAÇÃO. Nosso convidado especial é GASPAR, poeta e componente da banda Z’AFRICA BRASIL:
“O que a gente faz é Cultura Hip Hop, é estilo de vida. A gente faz isso há mais de 15 anos. A gente fala do Rap brasileiro com autenticidade, buscando tanto as influencias que vieram de fora quanto as de dentro, misturando a embolada, o côco, o baião, o forró... O Nosso universo musical se aprimorando através de todas as etnias e todas as culturas. A nossa música sempre tem um contexto social, um protesto forte, mas positivo.”
A essa salada antropofágica incluiremos poemas de BERTOLD BRECHT, que foi destacado dramaturgopoeta e encenador alemão do século XX. Seus trabalhos artísticos e teóricos influenciaram profundamente o teatro contemporâneo. Brecht é um dos escritores fundamentais deste século: revolucionou a teoria e a prática da dramaturgia e da encenação, mudou completamente a função e o sentido social do teatro, usando-o como arma de conscientização, politização e educação.
E ainda tem dança, teatro e música, como sempre. Não dá pra perder...
Veja mais em nosso blog: saraudeparaisopolis.blogspot.com

27.6.11

...Artigo Indefinido...



Não me peça para explicar agora
Estou fora de mim por dentro
Tento modelar os encaixe sendo humana
Provo do fugaz porque a experiencia se encontra na efemeridade
Mas só consolido o meu prazer no tantrico
Apartada em hemisférios equidistantes
Acredito que haja um nirvana para cada um dos meus desejos

25.6.11

...Vingança Quente...

Embora digam que a vingança é uma iguaria que se aprecia fria, saboreava sua xícara de café com especial prazer. Agora com um perverso regozijo, as linhas do seu rosto desenhavam-se em traços suaves. Nada estragaria aquele seu momento de êxtase, nem mesmo os ruídos de sofrimento advindos do quintal, abalava sua mórbida calma.
Tramara minuciosamente seu intento. Pesquisara, consultara algumas pessoas e aos poucos foi montando seu plano de extermínio. Fora ladina, não mudou sua rotina, criara um ambiente propicio, para que pensasse que estava agindo sem ser percebido. Até lhe fizera mimos velados, não queria alerta-lo de que estava preste a tira-lo da sua vida com um golpe só. Era muita ousadia! Invadir-lhe assim sem pedir licença, sufocando-a deixando-a em panico. Não fora à toa que estava reconstruindo sua vida e não permitiria que um serzinho insignificante abalasse seus planos de liberdade e paz.
Após ter escutado o disparo da armadilha, nem se deu ao trabalho de ir olhar, não lhe daria a honra da sua presença. Com um prazeroso desprezo banhou-se, arrumou-se com esmero, calçou suas confortáveis botas. Estava pronta para receber os cumprimentos. Pegou o interfone e solicitou ao zelador: pode vir aqui, assunto de máxima urgência!
Ele chegou e ela o encaminhou ao quintal. Ele não acreditou no que viu: debatendo-se na ratoeira o vil camundongo que um dia ousou invadir seu quintal!

Agora, experimentava mais um prazer, perdera o medo de ratos...

23.6.11

...Um gole A mais...

Aspiro profundo o perfume
Que transborda pelas bordas do translucido cristal
Balanço hipnotizada
Um balé de pupilas
Orgasmos de narinas
Fremito visceral
Embriagante lucidez


Miguel Gonçalves e seus experientes pinceis contornando os "sentidos" e 
materializando aquele que vai mais além...de Nós!


Aspiro profundo o perfume / dos movimentos
Que transborda pelas bordas do translucido cristal / em mutação
Balanço hipnotizada / entre a fase inicial e a mente
Um balé de pupilas / em festa, orgia e transe
Orgasmos de narinas / cultos ritualizados
Fremito visceral / em comunismo erótico
Embriagante lucidez / do estereofônico!


dos movimentos
em mutação
entre a fase inicial e a mente
em festa, orgia e transe
cultos ritualizados
em comunismo erótico
 do estereofônico!

Conheça mais desse magnífico Poeta: http://centraldapoesia.blogspot.com/

21.6.11

...Olhos Fechados...

De olhos fechados na escuridão
Que de assalto cobre o ambiente
Inundando os espaços vazios
Sem guia
Ponteiros de uma bussula que perdera o norte
E faz o papel de navalha
Abrindo caminhos na derme da alma
Saltam as emoções como um florescer desordenado
Profusão de sentimentos
Sensações desconhecidas
Meneiam um colorido insistente
Que das salivas misturadas
Alquimicas poções experimentam

19.6.11

...Há Faces...


Há coisa na nossa vida que são tão importantes, mas nunca priorizamos, porque ela- a vida - é faminta e nos engole de tal forma que nos deixamos ser tragados, muitas vezes, sem sequer questionar porque não fomos mastigados...
Todo ser humano tem sonhos e faz muitos projetos. Alguns deles, poe até no papel, mas, não realiza; outros nem formata, mas, acontece sem um projeto a priori ...
E assim seguimos acreditando que sempre sobrará tempo para remexer naquelas gavetas que estão trancadas um dia...algum dia sobrará tempo para serem abertas...
Algumas abriremos, outras certamente permanecerão fechadas e o seu conteúdo esquecido...
Ainda à poucos chega a luz do despertar de uma consciencia de que tentar é o caminho, mesmo que em passos tropegos...
Após tentativas frustradas de realizar algo que me dá um prazer inenarrável, estou me vendo diante de minhas gavetas secretas sendo abertas!
Revelação de faces tão ocultas...
Cheiro de sandalo no ar...



Quero mostra as minhas faces
Que em falsetes se esfacelam
Em face a tantas faces
Faceio o que falso se faceta
Faces ocultas que se mostram
Faces aparentes que se desconhecem
Eis uma face da minha face
Em que me reconheço
Sem disfarces

18.6.11

...Ventania...


...Quando o vento passa sou apenas música...
...Quando o vento passa sou apenas gestos...
...Quando o vento passa sou apenas solidão...
... Solta na música enceno em gestos a minha solidão...

16.6.11

...Não há Remédio nem Doutor...*


Profanou meu corpo em minh’alma se instalou
Atua em silencio e indolor
Os sintomas são diversos e adversos
Horas tremo de frio
Horas ondas de calor
Horas estou apenas em torpor

Não há indícios de cura
Fiz até cromoterapia
Já deitei promessas nos pés de todos os santos
Clamei os deuses de todas as religiões
Até dancei para os pagãos

Fiz meditação
Entoei mantras
Fui na benzedeira  
Fiz defumador e infusão

E percebo que nada mais adianta
A cada dia se agiganta
Não há remédio nem doutor
Quando voce se contaminou
Pelo vírus do AMOR!

(*) Para minha amiga apaixonada Cre...Mosaaaa...rs

Memorial da Resistencia convida:

 Governo de São Paulo
Apresenta
no Memorial da Resistência de São Paulo
Largo General Osório, 66 – Luz
Auditório Vitae – 5º andar

SÁBADO RESISTENTE
18 de junho, das 14h às 17h30
Terceiro vôo da liberdade completa 41 anos
Memórias da luta e confraternização
Homenagem  a Eduardo Leite Bacuri

No auge do período mais repressivo e violento da Ditadura Civil-Militar, entre setembro de 1969 e dezembro de 1970, ocorreram quatro ações de resgate que libertaram cerca de 130 presos políticos que, banidos do país por ato de exceção, puderam retornar somente a partir da promulgação da Anistia, em 1979.
Essas ações, as mais emblemáticas da guerrilha urbana, visavam  fundamentalmente libertar dos cárceres e das torturas centenas de combatentes que se haviam insurgido contra o golpe de Estado que tomou o poder em 1964, no Brasil, assim como denunciar, principalmente no exterior, o estado de violência e a injustiça que assolavam o País.
Por esta razão, essas ações também foram conhecidas como os "Vôos da Liberdade", como na época declarou então à imprensa o eminente jurista Sobral Pinto: "Estas ações são os Habeas Corpus que o regime nos tirou".
Exatamente há 41 anos, no Terceiro Vôo da Liberdade, foram libertos 40 presas e presos e políticos em troca do embaixador alemão no Brasil, Ehrenfried Von Holleben.
Para homenagear tanto os que participaram desta ação como aqueles que foram libertados, o Sábado Resistente quer debater o significado histórico dessa ação, resgatar memórias e vivências. Que esse dia se converta em momento de esclarecimento histórico e confraternização. Para isso, serão ouvidos depoimentos de pessoas que participaram daquela ação de resgate, assim como os testemunhos dos que foram libertados.
Para encerrar o evento, faremos uma homenagem especial a Eduardo Leite – Bacuri – um dos comandantes do Terceiro Vôo – com o lançamento do livro "Eduardo Leite”, de autoria da jornalista Vanessa Gonçalves.
PROGRAMAÇÃO

14h00: Boas vindas – Katia Felipini, coordenadora do Memorial da Resistência de São Paulo
           Apresentação – Ivan Seixas, presidente do CONDEPE e do Núcleo Memória

14h30: Palestra e debates
Sonia Eliane Lafoz
José Gradel
Teresa Angelo
Jesus Paredes Soto
Cid Queirós Benjamim
Darci Rodrigues
Dulce Maia
Domingos Ferreira
Carlos Nóbrega


 Os Sábados Resistentes, promovidos pelo Memorial da Resistência de São Paulo e pelo Núcleo de Preservação da Memória Política, são um espaço de discussão entre militantes das causas libertárias, de ontem e de hoje, pesquisadores, estudantes e todos os interessados no debate sobre as lutas contra a repressão, em especial à resistência ao regime civil-militar implantado com o golpe de Estado de 1964. Os Sábados Resistentes têm como objetivo maior o aprofundamento dos conceitos de Liberdade, Igualdade e Democracia, fundamentais ao Ser Humano.

16h00:              Apresentação do livro Eduardo Leite pela autora jornalista Vanessa Gonçalves
                         Tarde de autógrafos

15.6.11

...Eclipse Total...


Todo caso de amor
Tem perrengue sim Senhor
Quem hoje olhar no céu
Pode ver que se assucedeu

Sol e Lua se apartaram

A Lua pediu um tempo ao Sol
As estrelas fecharam os olhos
Carpideiras se aprontaram
o Céu se entristeceu

O eclipse aconteceu!

13.6.11

Senhores tenham cuidado comigo!

 Hoje acordei sentindo por dentro algo novo se movimentando...sabe quando você se olha no espelho e diz: ESTOU GRÁVIDA!

É assim!
O mundo lá fora, passa a se movimentar de forma diferente, o centro do seu umbigo é o próprio Universo. Percebe até o burburinho, mas, está muito ocupada para ater-se dele.
Não sabe ainda que forma tem - não consegue visualizar os traços da face, nem a textura da pele,mas, sente de forma inexplicável, todo o seu Ser trabalhando arduamente na criação dessa nova Vida!
É a magia que se processa no amago das suas entranhas, que infla sua alma e vai ocupando seu copo, que se dilata e vai se modelando, te arredondando, te diferenciando das mulheres comuns!

Hoje acordei assim! Plena de algo novo que brota...
Sai na rua e percebi as pessoas me olhando diferente, olhares mais plácidos, gentilezas mais apuradas, sorrisos mais abertos.

Pareceu-me que elas sabiam que:
Hoje acordei grávida de MIM!

12.6.11

Namorar é bom demais!

Hoje é dia dos namorados!
Amanha termina a trezena de Santo Antonio e só quem já foi sabe a delícia que é! Uma movimentação cultural linda que já participei, mas infelizmente não fiz nenhum pedido, pois na época era casada; mas, curti demais. Quem já foi a uma legítima, sabe do que falo.
Mas hoje, sem namorado...não traria aqui nada que entristecesse aqueles que estão agasalhados como pombinhos, curtindo o dia que foi instituído para se comemorar a delícia que é estar namorando.
Quem está namorando, não quer nem saber se é uma data comercial, isso fica meritoriamente para os solteiros, que inflam a bandeira da “economia” das suas moedas de dedicação, acusando o capitalismo “selvagem” de buscar mais uma forma de se beneficiar.
Tive deliciosas comemorações do dia dos namorados, outras um tanto mornas e outras inesquecíveis!
Tinha na época 16 anos e resolvi mudar de escola. Meu Papa não ficou muito feliz, mas como sempre validava meus arroubos, permitiu. Era uma escola no bairro da Ribeira, a beira mar. Um bairro lindo, bucólico, que sempre me encantou pelo seu caráter familiar, parece uma cidade de interior, e lá fui eu. A escola não era das melhores, mas a vista era sensacional, valia a pena todo o resto. Eu como sempre, não tive dificuldade em fazer amizades, e logo já tinha uma deliciosa turma. Lucy, menina doce que continuamos amigas até hoje; Bidu, meu fiel cão; e outros que no momento não recordo o nome. Mas esses dois eram os mais íntimos e me recepcionaram pela escola e pelos eventos que ocorriam no bairro.
Foi assim que conheci o Marcelo. Um rapaz lindo, loiro dos cabelos quase do tamanho dos meus, na época, era moda. Olhos cor de mel, uma boca em forma de coração. Beleza física não lhe faltava. Além do plus a mais, da educação e bom humor. Tinha uma “banda” de rock nacional e fui convidada pelos amigos em comum a ir a uma das apresentações. Quando tocou a musica do Kid Abelha – Como Eu Quero,  música de sucesso na época - eu que estava bem no gargarejo, tive quase certeza que estava tocando para mim! Sem querer ser pretensiosa, fiquei quietinha e até disfarcei para os amigos que ficaram me zoando, haviam percebido também a paquera do cantor, afinal eu tinha namorado. Um namoro fadado a não ir adiante, com um rapaz ciumento e muito sério, que já me entediava.
Como todos eram conhecidos, após o show de fim de tarde, fomos à praia tocar violão e beber vinho. O Marcelo me cercava de atenções, e eu disfarçava a satisfação da corte, não seria deselegante com o meu namorado, que todos conheciam. E eis que ele – o namorado - chega para me buscar e me pega, no meio da serenata cantando, bem descontraída com os amigos, coisa que o deixava fora de si. Muito aborrecida com o comportamento dele nada educado, subi pela ultima vez na garupa da sua moto. Fim do namoro!
Ah, como terminar um namoro nas portas do dia dos namorados, diziam as amigas. E agora vai passar dia dos namorados sozinha? Bem, estava livre, isso que importava.
Voltei às atividades escolares e o dia dos namorados chegou. E eis que estou na aula e simplesmente começo a ouvir a tal musica do Kid Abelha. Não só eu, mas toda a escola, pois estava nas alturas. Saí da sala aproveitando a professora de costas e fui à sacada matar minha curiosidade, minha sala ficava na parte superior, confesso que levei o maior susto. Estava estacionado em frente à escola, o carro do Marcelo. Parecendo um príncipe pós moderno, de tênis bamba e calça jens clara, encostado no carro, cabelos esvoaçantes sobre uma blusa azul. Quando me viu, acenou me pedindo para descer. Imaginem como atarantada eu fiquei, já tinha alguns outros alunos também curiosos como eu e diziam, vai! Caracolas, que vergonha! Eu ainda fiz gestos, perguntando, é comigo? Com o rosto pegando fogo, e ele gesticulava de lá: Vem!
Enfim, desci as escadas aos tropeções e tremendo cheguei até ele. Imaginem a cena, já que havia platéia. Eu disse:
- Menino o que é isso?
E ele bem direto: - foi uma forma de te chamar atenção, Lucy me deu a dica e que sorte a minha que deu certo! Quer namorar comigo?
E eu, sem saber o que dizer, retruquei quase sem voz: posso pensar?
Amigos, naquela época a menina não respondia assim a um pedido de namoro!
Ele riu e disse: claro, mas podemos tomar um sorvete enquanto você pensa?
No bairro há a mais tradicional sorveteria da cidade. E para lá fomos, deixando os curiosos a ver navios. Assim eu ganhei no dia dos namorados “de presente”, um namorado!
Há coisa na vida que são inesquecíveis e essa é uma delas!
Então caríssimos, compartilho nessa data especial as minhas memórias de adolescia tão queridas, coisas que não tem “preço”, mas agradeço ao selvagem capitalismo por te-la me proporcionado!
Feliz dia dos namorados!

11.6.11

...Cirande...Ando...

Matisse
Ouço a musica tocando ao fundo
Seria um convite à ciranda?
Volta inteira quero dar
O anel só aceito de diamante
Não quero perder tempo juntando cacos de vidro
Não preciso de promessas
Mas só acredito no que posso tocar
Mesmo que seja com meus sentidos
Só assim sei cirandear

10.6.11

...Balzac...Ando...

Envelhecidas linhas de nanquim
Sobre amarelados papéis
Fazem burburinho de piscar de olhos

Esparramadas partes que em parto se aparatam de mim
Desdobram-se em frestas com tonalidade violeta
Farfalhando como asas da borboleta

E em homenagem a Balzac
O dia nasce arrancado das entranhas da noite
Borbulhando novidades em choro alto
Intimidando o cansaço a recolhe-se
Dobrando a idade que se dilui na fluidez do tempo

Sempre haverá um amanhecer para recomeçar

8.6.11

...Desejos Secretos...



Costurando a boca da noite
O meu sol se derrete pelas bordas do infinito
Leva consigo o amuleto que lhe ofertei
Em troca dos meus desejos secretos
Incrustada jóia que arranquei do peito
E embalei no calor d’aquele dia
Atando com as fitas que cingi em nós
...NOS...


7.6.11

DICA

Amigos blogueiros que estão tendo problemas com o recebimento de comentários, enquanto o Blogger não soluciona os problemas, segue dica da Suzi:
Passo 1: Vá no seus comentários;


Passo 2: Mude o formato do recebimento para janela POP-UP;

E não deixem de visitar o passeando pelo cotidiano, um blog maravilhoso de variedades:http://passeandopelocotidiano.blogspot.com/

Cheiros!

...Profecias Poéticas...



Que ao poeta nunca lhe falte:
O sopro da melancolia...
Nem as tempestades das emoções...
Que a inspiração lhe ofusque, tal sol...
Tal raio, em coriscos e clarões...
Que possa sempre ter bom vinho, mesmo que seja barato, para todas suas mágoas afogar...
E que nunca lhe falte na alma o borbulhar dos espumantes...
Nem o torpor do mais puro scoth...
E ainda assim...
Que de resto...
Alguém lhe leia e transponha...
Até mesmo sozinho...
O portal mágico que separa...
O mundo real da emoção em poesia...
 

6.6.11

...Parabéns a Selma Jacob!...

Um novo começo; Selma Jacob
Hoje tem festa...
Tem festa sim Senhor!
Homenageando quem azeita as asas da minha imaginação!
Comemorar aniversário é algo que nos remete a pensar no mais precioso presente que o universo nos proporciona: A VIDA!
Hoje, é a nossa mais assídua participante deste blog que celebra seu aniversário:
Selma Jacob, artista, filha dedicada, amiga de todas as horas, querida professora do verbo AMAR!
Linda amiga Su@ve, emanando para ti os meus mais sinceros e fervorosos votos de Saúde, Paz, Prosperidade e lógico, que nunca lhe falte o que você oferece, sem nada pedir em troca - Amor!
Bjs muito e abraços apertados da sua fã e amiga.

*
*
*


Amizades verdadeiras são como asas...
Te alcançam sem menos esperar
Te acolhem na medida exata do teu precisar
E no momento certo
Te incentivam voar!


...Do Sabor Outonal...

O Outono tem sabor!
De manha...amor sob o edredom
Ao meio dia...saboroso piquenique no parque
E quando cai a tarde...o aquecimento num café com conhaque
De uma noite que promete às delícias de vinho com jazz

4.6.11

...A Porta...


"Passei a vida
 tentando corrigir
 os erros que cometi
 na minha ânsia de acertar."
(Clarice Lispector)


A tempos abandonei as frases prontas
Busco algo que está mais além
No intervalo de um tempo que ainda não conheço
Porque pressinto
Que lá está o que é meu!


2.6.11

...Renuncia...


Quem és Tu?
Pergunto ao ignoto coração
Sou o retirante que me fizeste na tua inconstancia de Ser
Ainda és parte de mim?
Pergunto-lhe já aborrecida com sua sublevada deselegancia
Diga-me Tu, já que resolvera evadir em busca de explicar o inexplicável
Então não És, pois se Fui
Jamais voltarei a Ser!


1.6.11

...Devast...Ação...

Devastação, in Pintura Digital. By V.Cruz
Arquiteto gestos e manipulo gosto
Rasgo as páginas e exponho a nudez de uma poética própria
Danço nos ruidos do mastigar das letras
Regurgito formas em sentimentos impróprios
Rabisco o que capturo no eco dos passos do mundo
Cubro-me de pele em brasas
Só pelo prazer de ver-te em carne viva
A vida lépida e pulsante faz redemoinho nas planícies
E depois
Em reverencia a minha natureza rebelde
Recolho o que sobra de mim e aprecio do alto do ninho
A minha devastação
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

...Sobre Imagens...

Informo que algumas imagens utilizadas aqui, não são da minha autoria, tendo sido em sua maioria, provenientes do google imagens. Ficando assim, à disposição dos seus respectivos autores, solicitarem a retirada a qualquer momento.

Fiéis escudeiros! Fàilte!