31.3.11

...Tece...


Tênue fio tenso
Atrela vales sagrados e profanados
Equilibra-se o aturdido desejo
No estanque do tempo
Hábil aranha tece teia
Acolhe em vertigem
O Extase!

30.3.11

...Inocencia do Extase...



Bernini
Sagrados sentimentos
Escarnecidos em frio mármore
Impertinentes cinzéis
Amoldam sem nenhum pudor
Abrindo em fendas
Recobrindo em panejamento
A inocencia do extase!



Somente às Mulheres
É concedido o direito
De Ser sagrada
Até quando goza suas dores

29.3.11

..."Dita"...

Lendo os dias em tarde outonais
Me pego diante de um papel de embrulhar pão
Amassado, manchado
Rabiscado com frases soltas que escrevi em algum momento
Emperdigada me leio
Tão pouco guardei de mim
Ora vazia
Um que de imensidão
Me fiz uma pergunta
É assim que se faz vida?
Viro a “dita” e começo a escrever:


"Aqui repousou o alimento de uma meia vida..."
Em vão desamasso
As veias que sobressaem
Marcos de um meio do caminho
Optei saciar toda a fome e a sede
Na essência do mundo
Alforrio a folha ao vento
Faço-me inteira

28.3.11

...Autoretrato...

(Rodin,A)

Acerca em passos vacilantes
Afinada orquestra no peito
Todo portal é digno de reverência


Nunca é sabido após transpô-lo
Imaculadas são as sensações
Às surpresas


Há um outro lado?
Ou apenas um sentido invertido da boca escancarada?


Não se atrevera modelar autoretrato
Ver-se-ia pregada naquela composição
Forma definida sem acepção de início nem fim
Era apenas o meio


 

27.3.11

 
Compartilhando o imenso prazer de arrepiar a alma no parque Ibirapuera
neste domingo 27.03.11

Jazz Sinfonica irretocável na leveza da execução de ritmos brasileiros & Convidados

Dominguinhos orquestrando seu talento em elegante e divertida simplicidade

Temperados com a irreverente musicalidade que exala por todos os poros de Ricardo Herz e seu violino

Fim de tarde, simplesmente perfeito!






...Bruxas? Elas existem!...


A busca é constante à todos que pretendem chegar em algum lugar...inicinado a postagem dos relatos de uma Bruxa e os caminhos que percorreu e percorre em busca das suas respostas acerca do motivo da sua existencia...seria isso? Talvez não...mas é dessa forma que consigo interpretar com o meu pouco conhecimento.

http://luaoriginal.blogspot.com/

Nota:
Inicinado uma serie de relatos lá na "abinha em reflexos" de uma bruxinha nada assustadora pós-moderna...o caminho que cada um escolhe para singrar as estradas da vida é bastante complexo e pessoal...quem não tem preconceito vai se deliciar...aos que são céticos, desculpas...meu respeito a todos!

26.3.11

...Um Homem que chamo de AMOR!...

Eis aqui um Homem!
Não é o melhor nem o maior...
Nunca foi meu herói...
Mas alguém que me ensinou a ser Mulher...sendo Homem!
Ensinou-me que respeito não se acha, não se compra...Conquista-se!
Que o Amor é o rumo e a direção...Ame-se!
Meu Pai...meu Papá...”Seu Libório” como só eu posso chamar...e ele atende!
Ai de quem mudar-lhe seu nome, que carrega com orgulho...

Esse é João Oliveira de Jesus!
Escritor da sua propria vida: Gente que faz!
Pelas lentes da sua “filha preferida”.

Versos “surrupiados” na ultima visita:

“Bem perto da marola a sereia
Não importa que ela venha toda hora
Importante que ela esteja ali
A beleza insofismável daquela senhora

A certeza autoritária que no mar existe
Forças a se observar com pureza d’alma
Que ninguém disfarce a realidade triste
Onde todos se conformam sobre a água calma

Faço versos com fidalguia legal agora
Procurando fugir para bem longe
Porque o amor me atrai triunfal sem demora
Pois é dureza esse castigo que abrange

Tudo pelo amor sem interrupção
Rogo consultando ao meu intimo
Pois, não faço nada sem outra interseção
Com segurança para todos os lados do destino”

...Re...Visto-me...

Quem eu Sou?
Um Homem
Ou um Ser...Vi...vente?
Onde Vou?
Aqui
Ou em todos os lugares?
O que Quero?
Alimentar
Ou ser alimentado?

25.3.11

...Reverso...


Traços contínuos  de olhares que se lêem em reverso
Rasgo de decote provocam
Bocas que se movem sobrepostas pele-a-pele
Salivas com gosto de desejo que se misturam
Mãos torturantes
Tentáculos da volúpia
Faíscas turvantes de luxuria
Eu?
Me rendo!

"[...]Nada do que fui me veste agora
Sou toda gota, que escorre livre pelo rosto
E só sossega quando encontra tua boca[...]"

...Re...Leitura...

(Munch, E. "O Grito") 

 
.
.
.
Harmatã soberano em noite fria
Violentos pingos de desejo
Soçobram nos vãos dos azulejos
Saudades...amarga iguaria

24.3.11

...Abismo D'Alma...

(Mucha, A.)

Do beiral
Serrada névoa
Dissolvendo ao sabor do Vento
Entronada Lua no Horizonte
Divisando os despojos carcomidos pelo Tempo
Fleuma n’Alma em Silencio
Longinquo uivo lascinante
Rasgado Instante
Braços abertos num abraço
Faz-se o Infinito

22.3.11

...Sinto...Muito...



Pare!
.
.
.
Não quero ver nada!
Cerro as pálpebras
Não consigo ser imparcial
Não me julgues igualmente
O meu ciúmes é visceral e se agiganta
Pareo do teu desejo
Que me abre flor em carne
Com os afiados filetes traços e linhas da
tua volupia

21.3.11

...Translúcida...

Entre os jogos de espelho
.
.
.
Espreito
Retocando a maquiagem
Linhas delineadas
Contornando meu olhar
Esfumaçados traços que sobressaem
Nessa névoa que confunde quem ousar olhar demais
Dissimulo meus segredos
Que translúcidos revelam-se
Apenas
.
.
.
A quem bem de perto for convidado a chegar


(Foto Parque Ibirapuera em 19.03.2011)

Lançamento do Livro de Rowena Arnehoy Seneween

Com a chegada do Equinócio de Outono, neste dia 20 de março de 2011, sincronicamente, às 20:20hs, tenho o privilégio e a imensa alegria de compartilhar com todos, o lançamento do meu primeiro livro: Brumas do Tempo - Poesias, pensamentos e ritos druídicos. Abençoado por Morrighan e os Deuses celtas da segunda colheita, do conhecimento, do equilíbrio e da paz. Que assim seja!

Para saber mais visite o site: http://www.templodeavalon.com/

...Amalgamada...


Se te encanto pelo que Sou
Não se perca pelo que não Sou
Os intervalos que me apartam
São os mesmo que me constituem

20.3.11

Miguel, matizando minha existencia no prisma da sua ímpar sensibilidade!

sábado, 19 de março de 2011


Poeta Valéria, no prisma da sua sensibilidade...


Vida reluzente-
Capricho do anoitecer
A pique no mar

Miguel


...sedenta vida...
...tanta água...
...e não posso saciar...

Valéria


Conheça mais desse magnifico Poeta: http://centraldapoesia.blogspot.com/

...Intimidades...


Eu
e
Voce
Em Qualquer lugar!
Nada mais
que
Precise
Declarar!
 

19.3.11

...N'algum lugar...*


N’algum lugar ousei perder-me
N’algum lugar ousei desprender-me de mim mesma
N’algum lugar retorno vazia a me buscar
.
.
.
E entre meus dedos
.
.
.
Hei de me reconhecer
Hei de me reencontrar

 

*dedico esses rabiscos a alguém que me estendeu as mãos e ofertou-me esta linda poesia  cantada numa tarde de sexta-feira, fim de expediente...
Uma Mochila cheinha de Bjsss Lexiiiiii

18.3.11

...Insofismavel...




Vida...
Errante...
Errada...
Certo mesmo é o que me vem...
Em oblação...permito espreitar-me de soslaio...
Nua...refestelo-me  nos teus gozos...
Sedenta...sorvo as tuas indiscretas salivas...
Embriagada...te levo na valsa...
.
.
.
Embora brinque no Tempo...
Quem faz a minha hora sou EU!

17.3.11

...Appétit...em Prosa...

A noite domina o firmamento, guardiã de um inesquecível momento. Em homenagem, enverga seu mais rico e escuro manto, cinzelado por claras nuvens, com salpicados adornos de discretas e elegantes estrelas.
No interior do templo, a penumbra ofertada pelo lume de tochas de cera, desenha nas paredes do másculo ninho, o cenário de um lauto banquete regado por rubro vinho.
No leito, romanticamente salpicado por perfumadas pétalas vermelhas, entretidos consortes comungam a desatenção ao som estéreo que solitariamente, projeta-se pelo ambiente. Impassível aos açoites de intermitentes respingos de fina chuva, mantém-se cúmplice silenciosa, testemunha envidraçada do mais insaciável apetite da humanidade.
Aparta-se em fendas, o tempo. O perdido, o que vai sendo consumado nas entrelinhas, o que vai deixando marcas...
Ao tempo repousam, a lassidão, os nacos de vida entrelaçados, envolvidos por delicadas tramas de algodão.
Assim, são flagrados por raios de uma irreverente aurora que desponta, despertando um novo dia, que faminto exige o desjejum.

15.3.11

Seal volta ao Brasil

Filho de pais nigerianos e neto de brasileiro, músico, cantor e compositor recebeu três premios Grammy com a trilha sonora do filme Batman Forever. Espetacular!
Estará em tournée que realizará em seis estados brasileiros inciando em São Paulo dia 17/03 no Credcard Hall.


  

14.3.11

...Meta...Morfose...

(Salvador Dali)
Tragada em fortes baforadas pelo buraco negro das entranhas
A mente vai sendo consumida pela asfixiante ansiedade
Que digere lentamente o que foi amanhecido
Expurgando em raios e trovões com espasmos de arrepio
.
.
.
Assim faz-se o Novo!

...Poetrix Sobre...Vivente...

Se te dissesse que não me importei que
tivesse me despido as vestes e
abandonado-me exposta a ira de todos os Deuses...
Mentiria...

13.3.11

...Uma Mulher um Olhar43...

Olhe quem quiser, enxergue quem merecer!
Um Ser Mulher que “conheci” no mundo virtual e que de virtual nada tem...
Sua força, dignidade, coragem transpõe esse cristal líquido...
Torna-se palpável...
Tantas noites insones desfrutei da sua agravel companhia...
Conselhos sábios...
Reflexões a cerca da vida, que levo com muita seriedade...
Musicalidade a diferencia em postura de carater reto...
Moça romântica acredita no Amor...
E por Ele norteia sua existência...
Sempre enfrentando todas as jornadas de cabeça erguida, confiante de que constrói com suas próprias mãos a sua história...
Inicia sua nova jornada...
Ao Universo deixemos a cargo que possa colher seus merecidos frutos...
Todos vibrando pela sua felicidade!
Desejos de que seu caminho seja sempre iluminado por bênçãos divinas!
Vôe querida Amiga!


"Não se acostume com o que não o faz feliz,
 revolte-se quando julgar necessário.
Alague seu coração de esperanças,
mas não deixe que ele se afogue nelas.
Se achar que precisa voltar, volte!
Se perceber que precisa seguir, siga!
Se estiver tudo errado, comece novamente.
Se estiver tudo certo, continue.
Se sentir saudades, mate-a.
Se perder um amor, não se perca!
Se o achar, segure-o!"
(Fernando Pessoa)

Fecunda...mente


 
Despetalando-se entre as folha...gens
Incansavel versejar
Natural...mente
Expoe-se em se...mentes
Quiçá o vento
Generosa...mente
Em suas leves asas
Pouse em desconhecidos solos
E entre o aqui e o acolá
Graciosa...mente
Torne germinar

...A Caminho de Shangrilá...

Parque das Cachoeiras - MG  
By Wagner Ribeiro
Em partes
Parto
Furtivas rotas
Escôo
Líquida por entre os seixos

Deixo o vão
Entre percalços
Abrem-se os leitos
Me deito

E se o infinito leva ao mar
Talvez quem sabe
Eu chegue a Shangrilá!

12.3.11

Re...Com...Pensa...


Magnitude...
Força...
Não há de atingir as nossas vãs compreensões!

Devastação...
Holocausto...
Não há como mensurar todas as sensações!

Abandono...
Impotência ...
Não há como não exprimir consternação!

Natureza...
Vida...
Morte...
Não há como não quedar-se diante da sua impetuosidade!

(Meu sentimentos às vítimas do Japão)

11.3.11

Miguel & V. Cruz em Padedê

E tudo começou com uma visita ao Poeta Miguel Eduardo: http://centraldapoesia.blogspot.com/ 


Pupila >...olhei...no "olho"... > Gestos Concretos
Na pupila > Entre brumas > Fáceis me vêm
Estrela-do-mar > A bailar > Em flashes
Um coquetel de luz > Línguas de fogo > Indícios
Prazer que empolga > Chicoteiam o desejo > Da pequena morte

No hálito > Soprano em bafejos > Como luz acesa
Pedra preciosa > Simula adornos corporais > Na parede
Paira em beija-flor > Singra o horizonte > Da noite
Espiral da sorte > Deixam à vista o monte > Antes da revelação

Na quietude > Indelével > Recado
Que tanto fustiga > Em ocaso > Da enorme vontade
Sonho secreto > Livra-se das vestes > Extenso e sincero
Da alma sabe > Mergulha... > Como nunca!

(Miguel>V.Cruz>Miguel)

...Faria Thomas Edison...Extasiar...

Confirmada a presença de Olafur Eliasson no Brasil 
São Paulo


A Arte singra nas veias...
Iluminada genialidade...
Luz intensa...
Penumbra...
Tudo deslumbra!


10.3.11

...olhei...no "olho"...

Em visita ao Poeta Miguel Eduardo: http://centraldapoesia.blogspot.com/ - "PUPILA"

Entre brumas
A bailar
Línguas de fogo
Chicoteiam o desejo

Soprano em bafejos
Simula adornos corporais
Singra o horizonte
Deixa à vista o monte

Indelével
Em ocaso
Livra-se das vestes
E mergulha...

...Anacronica..Mente...

Queria ser do Tempo
Dar Tempo ao Tempo
Perder-me no Tempo

Mas, atropelo-me
Visto-me e tomo assento
É o que resta a fazer quando você se sente mar...ginal
E invagina-se no seu “mundinho”
Um contra...Tempo!

Fora de Tempo
Brados ecos
Não pare, não perca Tempo!
Abra as asas e Voe


Visita e carinho de Poeta

...anacronica...mente... > insinuante

Queria ser do Tempo > à viva força
Dar Tempo ao Tempo > aquém e além
Perder-me no Tempo > só afetos


Mas, atropelo-me > para alguém
Visto-me e tomo assento > em frenesi
É o que resta a fazer quando voce se sente mar...ginal > tão pertinaz
E invagina-se no seu “mundinho” > sentido
Um contra...Tempo! > e só...


Fora de Tempo > há também
Brados ecos > delicadas inflexões
Não pare, não perca Tempo! > meu ser dileto
Abra as asas e Voe > baile no infinito...

V. Cruz > Miguel
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

...Sobre Imagens...

Informo que algumas imagens utilizadas aqui, não são da minha autoria, tendo sido em sua maioria, provenientes do google imagens. Ficando assim, à disposição dos seus respectivos autores, solicitarem a retirada a qualquer momento.

Fiéis escudeiros! Fàilte!