23.12.10

Nos encontramos em 2011!!!



Findando o ano. Não posso dizê-lo fácil, mas nem tão pouco, improdutivo.
Com as minhas CERTEZAS infladas, naveguei em buscas das INCERTEZAS...
Galopei em pêlo o corcel indomado do desconhecido e foi no abismo, que descobri sê-lo ALADO!
Também tive a oportunidade de “espiar” a vida e percebê-la não como uma ESCOLA , mas, uma FÁBRICA! Temos o livre arbítrio para arquitetar e executar, dos mais mirabolantes aos mais toscos e inúteis projetos. E o salário? Ah amigos, esse resgatamos conforme a nossa obra!
E foi nesse turbilhão de reflexões, acertos e desacertos que “atritei-me” na maravilhosa oportunidade à necessária lapidação que todo ser humano merece e carece ter.
Como sempre agradeço a TUDO e a TODOS...
 Às intempéries: a oportunidade de experienciar  a FORÇA de tudo suportar, a PACIENCIA para esperar o momento certo e  a CORAGEM de ir mais além;
Às pessoas que cruzaram meu caminho: a deliciosa experiência de enxergar a vida por outros ângulos, as variadas formas de demonstração de respeito, admiração, carinho, amizade e amor;
As pessoas que se mantiveram pertinho, posso dizer que meu berço é esplendido! Agradeço, o respeito ao meu jeito irreverente e telúrico de ser, poderia tê-las afastado, mas ao contrário, tornaram-se mais próximas e dignas, de tal qual respeito, admiração e confiança.
Agora estou blogueira! Expor-me sem fronteiras, uma nova forma de romper com meus medos, tocar e tentar vencer a arrogância em percorrer a perfeição. Sinceramente, me surpreendi com as estatísticas, nunca tive grandes pretensões. Em menos de dois meses recebi 963 visitas, entre Brasil, Portugal, Croácia, EUA, Dinamarca, Turquia e Romênia!
A todos que me visitam, deixam recadinhos carinhosos e enviam mensagens no e-mail:  meu muito obrigada!
Encerrando as postagens desse ano com a cabeça cheia de idéias! Com certeza esse próximo ano será muito melhor, afinal, necessitamos de um bom salário!rs
Beijos, cheirinhos, abraços... com todo meu carinho!

BOAS FESTAS!
(V. Cruz)

16.12.10

Minhas intimidades com Clarice Lispector

                                                                 
                                                                                   Sedenta..
                                                                Bebo na tua fonte oh
                                                                CLA...ve do meu Sol...
                                                                RI...so da mi’alma...
                                                                CE...ntelha que ilumina meu caminhar...

Dá-me a Tua Mão
"Dá-me a tua mão: Vou agora te contar como entrei no inexpressivo que sempre foi a minha busca cega e secreta. De como entrei naquilo que existe entre o número um e o número dois, de como vi a linha de mistério e fogo, e que é linha sub-reptícia. Entre duas notas de música existe uma nota, entre dois fatos existe um fato, entre dois grãos de areia por mais juntos que estejam existe um intervalo de espaço, existe um sentir que é entre o sentir - nos interstícios da matéria primordial está a linha de mistério e fogo que é a respiração do mundo, e a respiração contínua do mundo é aquilo que ouvimos e chamamos de silêncio."

♥♪♫☼♪♫♪♥
"Não quero ter a terrível limitação de quem vive apenas do que é passível de fazer sentido. Eu não: Quero é uma verdade inventada."

♥♪♫☼♪♫♪♥
"Eu não escrevo o que quero, escrevo o que sou."


♥♪♫☼♪♫♥
"Eu escrevo sem esperança de que o que eu escrevo altere qualquer coisa. Não altera em nada... Porque no fundo a gente não está querendo alterar as coisas. A gente está querendo desabrochar de um modo ou de outro..."

14.12.10

É só meu bilhetinho ao Papai Noel!

Sempre fico com o lápis na mão, folha em branco, olhar perdido...é um momento muito especial!
O que realmente lhe direi esse ano?
Pois bem, aprendi que primeiro antes de fazer o pedido devemos agradecer!
Vamos lá...
Querido Papai Noel!
Este ano fora muito, muito bom!
(Hummm...será que ele entenderá? Será que ainda se lembrará do presente que me trouxera? Bem, agradecera ao menos...o resto é com ele...sempre!)
Obrigada pelos presentes, usei-os todos com muito carinho, mas como sabe, um ano já se passou e...ficaram gastos...algumas partes se desprenderam...já não posso mais usá-los...
Este ano, portanto, vou abusar um pouquinho, quero pedir presentinhos para todos que me cercam...segue minha listinha:
- uma caixa de PAZ ;
- um vidro transparente de PACIENCIA;
- um pacote de PROSPERIDADE;
- não precisa embrulhar: só um laço de fita colorida bem linda para enfeitar a AMIZADE;
- um caixote bem reforçado de SAÚDE;
- E uma linda embalagem para o AMOR; (esse deixo ao seu critério, você sabe a dose certa que cada um precisa...)
E por fim, não se esqueça dessa sua humilde pedinte...sabe que sempre aceito muito feliz tudo que me traz...você sempre sabe o que PRECISO e MEREÇO!
Um cheiro cheio de dengo!

PS: deixei um presentinho na meia, espero que goste! FELIZ NATAL!
(V.Cruz)

13.12.10

Em Poesia Perpetua o Meu Existir...

Indecente, vela o frescor da mais pura inocência!
Pela fresta...
...desnuda-me os segredos como se le as cartas mais secretas...
Pela fresta...
Testemunha toda a festa...espreita-me com olhos que não são meus...
...num lapso de instante, nossos olhares se cruzam... assusto-me!
Você me viu na pequeneza dos meus ínfimos detalhes...um espaço espremido entre o que é selva e o que é pedra...
Pela fresta...
...permite-me toda a glória...
...torna-me musa e em poesia perpetua o meu existir...

(V.Cruz)

11.12.10

Vem...como sol da meia noite o meu Ser iluminar...


           Vai...instiga-me a alma com o teu universo de idéias... 
Vem... faz do meu regaço o pouso do teu olhar..
           Vai... consolida no meu corpo o teu poetar...
Vem...abrir-me-ei templo das tuas volúpias...
          Vai...executa o bailado dos teus lábios junto aos meus...
Vem...afogar-me-ei na tua saliva doce...
          Vai...faz-me rendida a tua língua de fogo...
Vem...sorve-me a delicadeza dos meus ais...
           Vai...faz-me passear no paraíso dos teus abraços...
Vem...e mais uma vez...
          Descansa em deleite o peso do teu cansaço sobre o meu!

(V.Cruz)

Resposta Exposta!

Salvador Dalí


Exponho-me revirada do avesso!
Não vês?
Toque...
Apalpe...
Mude de lugar...
Descarte tudo que não lhe convém...
Te confiro todo esse direito!
E então...
Perceba...não quero ser mais a mesma!

(V.Cruz)

SER humanamente SOLO...

Salvador Dalí

Nunca fui árida!
Ontem...útero de outros plantios, com sabor de missão cumprida, me vejo em meus suculentos frutos alimentando a humanidade...
Hoje...solo úmido recém arado, me sinto preparada a novos plantios...deixo-me conduzir pelas forças da natureza que animam o universo...
A inquietude me visita, me revolve... percebo as mudanças a minha cerca...
Não conto mais o tempo pelo nascer do sol, mas, pelas fases da lua...
Abandono as fronteiras das frases prontas e me percebo solta na imensidão de SER HUMANO!
Ofereço-me com suavidade...
Comprometo-me acolher novas sementes...


(V.Cruz)
Rabiscos voando em outras paragens. Me encontra tambem em: http://apoesiaemnos.zip.net/

5.12.10

Quero viver o presente.

Não quero ir embora pro passado, ausente.
Quero ficar aqui no presente.
Porque que sei que ele me pertence.
Quero sentir essa chama quente,
Da vida que me foi dada de presente.
Quero viver os dias como muita gente...
Sabendo que cada hora será hoje e tão somente.
Não haverá contornos e nem retorno, ao dias que só se sente.
Existe a hora,  a mente, aqui e agora, só em frente.
Quero viver o presente...
Com o coração aberto, embora as vezes carente,
Mas confiante na esperança de estar sendo um bom vivente.
Que  a cada vinda ao mundo, procura suas sementes...
E não deixa rastros demente.
Quero viver o presente.....
De uma forma consciente, sabendo que amei intensamente,
Que a bondade estava em todos os semblantes...
Em cada um dos muitos semelhantes.
Que compartilham o que ensinastes.
Quero viver o presente...
Pensar no ponte...
Olhar sempre em frente...
Mas viver, intensamente, esse presente!
(Poesia da amiga maksonho(m) - 9/06/2010)

Não me peças....

"Não me peças para gostar, de deixar de  querer o que me desses sem contar.
Não me peças para gostar, de ficar sem ter o que me desses sem perguntar...
Não me peças para gostar, de não ter o que ainda me faz sonhar.
Mas sei que não está a me pedir...
Apenas fizesses o que teu corção te fez sentir.
Se assim é, na doce ilusão da procura,
Deixo meu coração, nessa tresloucada bravura.
Buscar em vão por essa imensa loura.
Que já fez morada em minha candura.
Não deixo os sonhos, morrerem,
Não deixo as saudades de dores estremecerem,
Não deixo as lágrimas em minha face rolarem,
Sigo apenas ouvindo as pedras rolarem.
A seu tempo, as cordas da vida,
Lindos sons ecoam na partida.
É hora de ouvir o som da despedida. 
Sem o direito de ser compreendida."

Poesia da amiga maksonho(m) 14/03/2009

4.12.10

Estou concorrendo no desafio do mes no site Escreva! :Imagem d'Escrita

...tempo de plantio e tempo de colheita...

A complexidade da existência está entre o tempo de plantio e o tempo de colheita...
Uns tem oportunidade de ser semente e eternizarem-se em novos plantios...
Para outros a oportunidade de ser alimento, amalgamado a outros elementos, manipulado e transformado em um delicioso pão!


Visitem o site, bem interessante para quem ousa achar que deve escrever: http://www.escreva.com/desafio.php?d=341

3.12.10


Te surpreendo?
Sou tão humanamente simples!

"Eu quero amar, amar perdidamente!
Amar só por amar: Aqui... além...
Mais Este e Aquele, o Outro e toda a gente
Amar! Amar! E não amar ninguém!

Recordar? Esquecer? Indiferente!...
Prender ou desprender? É mal? É bem?
Quem disser que se pode amar alguém
Durante a vida inteira é porque mente!

Há uma Primavera em cada vida:
É preciso cantá-la assim florida,
Pois se Deus nos deu voz, foi pra cantar!

E se um dia hei de ser pó, cinza e nada
Que seja a minha noite uma alvorada,
Que me saiba perder... pra me encontrar..."

(Florbela Espanca)

2.12.10

...Impossibilidade...

Gostaria agora de versar O AMAR...
...mas habitando meu ser... tornou-se meu carcereiro!
Sequestra-me as palavras!
...traga-me profundamente a alma!
Arrebata-me o sono...sacia meu apetite...rabisca minhas paginas em branco!
Sobre a minha pele, pincela dias ensolarados...jardins floridos...
...céu estrelado e noites de luar...
...faz-me líquida e saboreia em suaves goles...
Meu par...conduz a valsa da composição que cria com meus sussurros...
... e como maestro, orquestra os dias, me guia!
Para aquecer-me  em noites frias...atiça a lareira do meu SER MULHER!
E nesse momento...faltam-me rimas, versos...
...talvez um dia, sim, possa dize-lo...
Ah O AMOR!


(V.Cruz)

...e por falar em viagem...muito legal!

Joost  e Michiel no Canadá (Foto: Arquivo Pessoal)

 

Dupla vai de Polo a Polo para alertar sobre a Água! 

Começou no Alasca e vai terminar em Ushuaia, na Argentina 

 in Bicicleta de bambu e maconha

http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2010/11/dupla-vai-de-polo-polo-em-bicicleta-de-bambu-para-alertar-sobre-agua.html


 (Foto: Ciclo da Água Arquivo Pessoal /)

...preciso dizer algo mais?

1.12.10

Diário de bordo:As aventuras de Carol pelos 7 mares!

Caros Caríssimos,
Eh com um alivio danado que declaro que a garrafa de champagne quebrou no casco do Allure of the Seas. Ufa! Primeira vez pra mim. Dizem que isso não aconteceu com meus barcos anteriores 
(o que encalhou e o que vai a Faixa de Gaza).
Depois de dias surpreendentes na Finlândia, atravessamos meio mundo para chegar nos Estados Unidos. Durante o crossing, passamos raspando por uma ponte na Dinamarca e o mundo inteiro viu. No Canal da Mancha, ondas gigantes alcançavam o 3 andar do navio e todos nos, salvos dentro da cidade flutuante, acompanhávamos
encantados a forca do Canal.
 Depois foram 12 dias de navegação com o navio aberto so para tripulantes. Eram 2 festas por dia em pista de gelo, bar suspenso, promenade e boate pendurada no 17 andar do navio. Todas as festas open bar. Almoçávamos e jantávamos nos 26 restaurantes especializados, surfávamos nas piscinas com ondas, saltávamos da zip line, jogávamos basquete na quadra poliesportiva, íamos ao cinema 3D.
Ah! Entre umas e outras trabalhávamos também.
Dois dias antes da chegada a Florida, entramos no Triangulo das Bermudas, o que foi anunciado pelo capitão argentino Zinni como a noticia ruim do dia. E foi estranho ver aquele mar. Era manso mas as ondas vinham de direções diferentes, o que formava aberturas pequenas nas águas. As 17h, ainda nas Bermudas, o furacão Tomas se aproximou do Allure. Teria sido horrível se alguém da ponte de comando tivesse avisado aos tripulantes. Como ninguém sabia, foi mais um mar agitado como no Canal e nos mares do sul.
No outro dia recebemos a noticia do furacão.
A chegada em Fort Lauderdale/Florida, foi cinematográfica. Oito helicópteros sobrevoavam o navio com câmeras que transmitiam ao vivo a chegada do Allure através da CNN, BBC e outras grandes. Todos fomos ao topo, com as bandeiras dos nossos países tentando mandar recado para casa. Queríamos dizer que estávamos orgulhosos de ter participado da montagem do maior e melhor navio do mundo e que
a travessia foi um sucesso.
Nosso bebezão foi inaugurado ontem, com garrafa de champagne desenhada por Romero Brito. Recebeu a bênção da madrinha Fiona do Shrek, uma homenagem aos personagens da Dreamworks que fazem parte da nossa equipe de animação.
Saudades de todos. Já chego em casa.
(Texto e fotos de Carolina B. Lopes – vulgo Carol)

Escrita especialmente para Sohere em outras luas...


Uns dias tristes, outros cantante, olho para trás e vejo que a cada ciclo me renovo.
As vicissitudes de vida são o alicerce que não permitem que
os vendavais da vida me derrubem.
A cada dia me sinto mais fortalecida e como fênix, me reconstruo
cada vez mais certa de que viver vale a pena, pois, de que adiantaria
 ter um caminho florido se não soubesse revolver a terra,
combater as pragas, regar na medida certa, e principalmente
saber desfrutar os desabrochares.
Que nunca me esqueça que:
Sou raio de sol...
Sou chuva na janela...
Sou tempestade de verão...
Sou ser humano...
Sou gente...
Mas acima de tudo...
Sou mulher...
(...amei ver no teu perfil amarela!)                  (V.Cruz)

29.11.10

...despindo-me...

A cada passo sinto as vestes grosseiras escorrendo do corpo...
Silenciosa...Serena... Confiante...
...ofereço às mãos do destino todo o risco...
...aos seus rabiscos sem reservas, entrego-me e com suavidade, passeando nua...
...empunho meu legado...agora, das entranhas pra fora...
...compartilho...
...a essência é indispensável a olhos astutos...
...veja quem quiser, sinta quem puder!


(V. Cruz)

27.11.10

...do barro...ao barro...

 
Constituída de barro comum, me foi permitido
habitar modelagem única!
Na senda do existir, não me furto... me farto!
Sinto sede... afogo-me!
Sinto fome... devoro!
Das miudezas ao apoteótico...locupleto-me com o que me dá prazer!
Limito-me a ir mais além!
O desconhecido... o traço da minha rota!
E as surpresas... meu fôlego!
De tudo que acredito saber, apenas
 uma feliz certeza é palpável:
o mesmo sopro que me animou me tragará!
(V.Cruz)

23.11.10

...em passos tropegos sobre o caminho, esbarro em verdades...

"Devemos andar sempre bêbados.
É a única solução.
Para não sentires o tremendo fardo do tempo que te pesa sobre os ombros e te verga ao encontro da terra, deves embriagar-te sem cessar.
Com vinho, com poesia, ou com a virtude.
Escolhe tu, mas embriaga-te.
E se alguma vez, nos degraus de um palácio, sobre as verdes ervas de uma vala, na solidão morna do teu quarto, tu acordares com a embriaguez atenuada, pergunta ao vento, à onda, à estrela, à ave, ao relógio, a tudo o que se passou, a tudo o que gira, a tudo o que canta, a tudo o que fala; pergunta-lhes que horas são:
São horas de te embriagares.Para não seres como os escravos martirizados do tempo, embriaga-te, embriaga-te sem descanso.
Com vinho, com poesia. Ou com a virtude."(Charles Baudelaire)

20.11.10

...em tempestade...

Rabiscos desordenados sobrepõem a pagina...
Um grito sufocado na garganta cala...em sôfregos soluços...
As pálpebras... pesam a angustia...
Como ondas arrebentando nos rochedos... o coração...
Assim...escoam os versos...

18.11.10

...e assim ... a PRIMAVERA se faz em mim...


A Primavera chegou desfilando seu colorido indecente, irradiando sua beleza por onde estou... Já nem sei mais se quero ser borboleta ou flor!
Borboleta, posso vivenciar a felicidade em florido jardim... mas é bom ter a terra revolvida, fincar raízes... ter as pétalas orvalhadas... gosto de mimos e perfumada... dizem que sou... posso também desfrutar meu momentos de flor?
Ah Prima, conspiras acaso com o matreiro e protetor universo? Linsonjeia-me com tão generosa dádiva, meu olhos úmido transmitem   o que meu lábios não conseguem traduzir...sou só agradecimentos por fazer-me tão plena de LUZ e PAZ ... faz-me filha da lua e me confesso  amante do sol!
Sigo  exultante, de mãos dadas com a calma e a doçura...já nem sei, se BORBOLETA em TI estou ou se FLOR em MIM se faz!
 

17.11.10

...preciso te respirar...

Às vezes a alma se contrai em nostalgias...as imagens vagam entre o que a pupila registra e que em mim está registrado...
Muitas vezes singramos bravamente caminhos carregando estandartes alheios, por pura teimosia!
No enlevo das recordações os odores parecem materializar-se e você é violentamente transportado a outras épocas a outros cenários...
Uma paixão, uma quase obsessão...uma relação sadia de fruição...
A alma mais uma vez estremece...o corpo se desconecta na dimensão das sensações...
As pupilas dilatam...e a emoção inunda o ser e neste momento de breve consciência...
 A verdade se  revela na sua mais pura essência:  não vivo sem ARTE!
                                                                             Jozan

As mulheres como eu

As mulheres como eu

Minha amiga, minha irmã...caminhar de mãos dadas contigo e ao teu lado não é só um prazer, é uma honra!

...no piloto automático...

Há momentos que nos sentimos "apenas"... um fim de tarde na paulista!

Inevitável...

Um convite em Sol maior

Em flor e pele...

Desenhos Toscos

...despertar...

16.11.10

PS: Vista seu melhor sorriso e vá ao Banco!

                         
Uma tarde primaveril sem nenhuma promessa...presa na pressa do cotidiano e atordoada com a tecnologia da modernidade, nem percebo o que estava deixando para trás...
Escuto uma voz imponente que me tira do transe das preocupações: - “ei, isso é seu?”
O tempo parece parar ao divisar o espaço entre minha introspecção e lindas mãos estendidas... a alma saboreia a alegria de um sorriso de prazer...
-“ah obrigada! Não sou ninguém sem eles!” (creiam, meus óculos! rs)
- “Agora podes ser quem quiser!” (Uma promessa ou um convite?)

(abre parêntese)
Impossível não perceber um encantador olhar sorridente que me observa com curiosidade... instigada pela resposta, também registro muitas coisas neste breve instante, não me passam despercebidas as covinhas que o sorriso acolhe, um belo porte...indiscutivelmente, gosto do que vejo e certamente que sem nenhum pudor, devolvo o mesmo olhar curioso...
...entro na fila acompanhada...entre olhares, um papinho inocente sobre segurança do banco, violência da cidade...o telefone toca, me distraio...mas, astuciosamente não perde o feeling, comenta do meu sotaque e quase me sentindo numa inteligente entrevista do censo me vejo sendo “dissecada”! Tá certo, aceito, afinal somos até do mesmo signo (gargalhadas)! Chega a minha vez, ele abre a carteira e me estende um cartão: “- quem sabe um café?”...penso rápido e audaciosamente viro o cartão e anoto meu telefone, devolvo: “ – quem sabe?” Saio sem olhar pra trás.
Viro a esquina do banco rindo sozinha das supresas , telefone toca: “- eu menti!”
Caracolas! Primeiro pensamento que me vem: casado...(&#%) mas...corajosamente pergunto: “- por que?”
Sorri e diz: “- não precisava pegar a fila, ia falar com o gerente! Que tal um café comigo mais tarde?”
Bem, bem...quase quarenta minutos de fila merecem uma recompensa!
(fecha parêntese)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

...Sobre Imagens...

Informo que algumas imagens utilizadas aqui, não são da minha autoria, tendo sido em sua maioria, provenientes do google imagens. Ficando assim, à disposição dos seus respectivos autores, solicitarem a retirada a qualquer momento.

Fiéis escudeiros! Fàilte!