29.5.12

...Nem Almodóvar...


A névoa dessa madrugada que não amanhece resguarda... 
O rascunho vazio das palavras que voce não disse...
Secreto tremular das minhas carnes que nem Almodóvar conseguiria filmar...
Lá fora paginas lambidas para bem longe...
Agoniados acordes do vento...
Às portas fechadas... 
Testemunha envidraçada...
Desenhos de linhas displicentes que sem querer dizer...
Embaçam com a fugacidade de suspiros contidos...
A despedida de todas que havia em mim...

"Já não necessito de ti 
Tenho a companhia nocturna dos animais e a peste 
Tenho o grão doente das cidades erguidas no princípio 
De outras galáxias, e o remorso..... 

.....um dia pressenti a música estelar das pedras 
abandonei-me ao silencio..... 
é lentíssimo este amor progredindo com o bater do coração 
não, não preciso mais de mim 
possuo a doença dos espaços incomensuráveis 
e os secretos poços dos nómadas 

ascendo ao conhecimento pleno do meu deserto 
deixei de estar disponível, perdoa-me 
se cultivo regularmente a saudade do meu próprio corpo." 
[Al Berto ]

2 comentários:

RioSul disse...

Uma forma linda Valéria de expressar sentimentos, sensações, parabéns gostei muito!

Abraços
Thiago
RioSul

Valéria Cruz disse...

Obrigada Thiago, pelo carinho pela lembrança.
Bjão!
V.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

...Sobre Imagens...

Informo que algumas imagens utilizadas aqui, não são da minha autoria, tendo sido em sua maioria, provenientes do google imagens. Ficando assim, à disposição dos seus respectivos autores, solicitarem a retirada a qualquer momento.

Fiéis escudeiros! Fàilte!