11.8.12

...Fatal...


Guardo nos olhos cerrados o silêncio de toda a minha inocência perdida...
Sinto a primavera que inunda meu semblante...
Cores que jamais tocaria com os dedos nus...
Já não é mais inverno...
Todo esse frio que me envolveu vai se derretendo no vapor do sol...
Recebi o último abraço das paredes que me vestiram...
Texturas do que nunca soube nominar...
Deságuo assim hoje tão frágil e tão despida da minha poesia...
Como se toda a minha vida fosse um irrestituível começo...
E de fato o que me faz respirar...
Seja o anseio...
Do que sinto tão longe do fim...

4 comentários:

Selma Jacob disse...

Bela como tu, querida. beijocas

Valéria Cruz disse...

hahaha...rindo aqui...Bjão amiga!
V.

Ariel disse...

Olá Valéria,
bom dia,
que bom texto! cheio de sentimentos,
você escreve um encanto.
Este é um trabalho maravilhoso.

Desejo-lhe um fim de semana feliz
beijos

Valéria Cruz disse...

Oi Ariel!
Quando o sentimento é palpável, fica fácil escrever!
Bjão!
V.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

...Sobre Imagens...

Informo que algumas imagens utilizadas aqui, não são da minha autoria, tendo sido em sua maioria, provenientes do google imagens. Ficando assim, à disposição dos seus respectivos autores, solicitarem a retirada a qualquer momento.

Fiéis escudeiros! Fàilte!