21.7.12

..Interstício...


Os raios do sol se esgueiram pelas fendas da noite...
Desenhos de luz que se projetam na parede...
Cenário pueril que sobrevive alimentando-se a goles miúdos...
A terra sobre meus pés suspira como se fosse maré calma...
Prenunciando que o tempo de escuridão fechará sobre si mesmo...
Abro o peito ao vento novo...
Oco do meu mundo de solidão...
Desembaço os olhos...
Espelhos cansados de verter tristezas...
Mudo o figurino da alma cinza de outrora...
E mesmo que seja apenas um solo de flores breves e quimeras...
Dispo-me ao banho desse perfume novo...
Entrego-me aos macios pinceis do tempo...
Que se faça também sobre as minhas asas...
O colorido dos risos...
Pois se...
O tempo é apenas uma breve lacuna...
Que não passe por mim...
Assim...
Como mera folha em branco de um triste folhetim...

4 comentários:

MA FERREIRA disse...

Oi Val..... que lindo seu poema.]

Olha.....li seu comentario na Pris.
E te digo.. vc vai amar o espaço dela. Além da pessoa.
E quero estar la pra tomar um cafezinho com voces...

bjinhos..

Cigana Raicha disse...

Passando para te desejar uma boa tarde!!
Aproveitando, para desejar felicidades aos amigos, nunca é tarde e nunca se esta atrasado viu!!
FELIZ DIA DOS AMIGOS
Beijos e uma excelente semana pra voce.
Com muita paz e muita luz.
http://ciganaluminosa.blogspot.com.br/

Valéria Cruz disse...

Oi Ma!
Obrigada querida.
Quanto a visita ao centro, pode deixar, te aviso, será um grande prazer encontra-la também. Amiga chega dia 26...assim que eu marcar com a Pri te aviso.
Bjão e linda semana.
V.

Valéria Cruz disse...

Oi Raicha,
Obrigada pela bela passagem. A voce também, felicidades sempre, com certeza o bem nunca tem hora!
Desejo-te bem e paz a ti e aos teus, sempre.
Bjãoo
V.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

...Sobre Imagens...

Informo que algumas imagens utilizadas aqui, não são da minha autoria, tendo sido em sua maioria, provenientes do google imagens. Ficando assim, à disposição dos seus respectivos autores, solicitarem a retirada a qualquer momento.

Fiéis escudeiros! Fàilte!