19.7.11

...Toque-me...


E no silencio se espalha um tímido som!
Ecos dissonantes escoam do acolhedor abandono...
Corda ressequida de uma nota só...
Caixa entorpecida de mofo e pó...
Desafinada valsa desliza em falsetes...
 Toca a vida a fora...
Sem pretextos...
Nem precedentes...
O belo se faz beleza...
Ao simples toque...
De quem sabe tocar!

4 comentários:

sabe vida disse...

Nada como encontrar alguém que toca nossos instrumentos, com a maestria que merecemos. Que saudade.

Autêntica V. disse...

É verdade, quando alguém te deixa à flor da pele, quando você se afina no outro é pura magia, todos os sons se fazem completos, parece que o infinito cabe em suas mãos...saudades de mim...muitas mesmo!
Bjão
V.

sabe vida disse...

"...saudades de mim...muitas mesmo!"
para pessoas como tu que viveu emoções, paixões tão fortes quanta as lembranças que sentes agora, que relevância prática ou sentimental elas ainda transmitem a ti? apenas uma cicatriz dolorida ou um arrependimento por não ter feito daquela maneira ou simplesmente um vazio que não se explica...
Enfim, linda, é que transmite tanto sentimento nas palavras que
inevitavelmente leva-me a estes questionamentos.

Beijo, linda.

Autêntica V. disse...

Arrependimentos nunca! Não sei se faria diferente, porque pensamos quando tudo passa, de forma mais lúcida outras formas...mas quando se está no olho do furação, tudo segue conforme a emoção, não dá pra parar e pensar...enfim...sinto saudades, talvez apenas...saudade como uma lembrança...não sei se teria tanto sangue no olho hoje para encarar algo novo...esse é dos temas da minha terapia: o que temos para hoje e como quero o meu hoje?
Mas quanto ao vazio, ele sempre esteve presente...sou um saco sem fundo...rs

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

...Sobre Imagens...

Informo que algumas imagens utilizadas aqui, não são da minha autoria, tendo sido em sua maioria, provenientes do google imagens. Ficando assim, à disposição dos seus respectivos autores, solicitarem a retirada a qualquer momento.

Fiéis escudeiros! Fàilte!