9.3.14

TALVEZ

Se –
Sem fôlego, um corpo faminto submergindo de principiantes ambições, opacas como se fossem veteranas, anulando toda a ingenuidade dos sentidos.
Serve-“Se” à mesa posta com iguarias de papel, sublinhando trejeitos serpentinos de imaginação, brinde aos olhos de fogo que tudo consome ou refuta com fastio.
Enquanto os pés afundam lentamente procurando o fim, asas que construí com papel de seda em meu ser, se abrem na chuva.  
Meus olhos agora me avistam longe como se a soberana que há em mim,
Talvez –

[esteja inatingível]

3 comentários:

sabe vida disse...

(Preciso ler mais um pouco este texto mas, é daqueles) Se para ti parece inatingível é talvez por causa das formas, maneiras e/ou "instrumentos", que foram utilizados. Percebo isto no primeiro parágrafo. Uma espécie de reflexão pelo tempo vivido e experimentado, onde, a presença dessa busca de uma resposta (e outras tantas), ou de ser capaz de te responder a grande dúvida: O que fiz até hoje, foi certo? ou errado ou ainda falta mais? (se te conheço, tu diria: "dane-se", rsrs)
Chega! já especulei demais se a minha análise lhe serviu, nos veremos outro dia.
Um beijão, linda.

Autêntica V. disse...

Tu é do balaco!rsrsr
Gosto das tuas leituras por demais!
Bjão!
V.

sabe vida disse...

E, como sabes, sou fã apaixonado pelas tuas provocações.
Beijão.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

...Sobre Imagens...

Informo que algumas imagens utilizadas aqui, não são da minha autoria, tendo sido em sua maioria, provenientes do google imagens. Ficando assim, à disposição dos seus respectivos autores, solicitarem a retirada a qualquer momento.

Fiéis escudeiros! Fàilte!